★ Johnnys no Brasil ★
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qua Fev 03, 2010 3:11 am

Nara escreveu:
Aaaaa Masu Masu Masu *-----*
oh ele flando c/ Nyanta isso é bem diferente né ja q ele tem medo d animais xD
td bem q esse nao é um gato comum xD
nossa e p/ ele olhar triste p/ um pedaço d bolo tbm é bem fora do comum né
shahshahshas xD
Aiai Tegomasu é maraa *----*
raxei na parte q eles estao tramando p/ cmo juntar Koyapi shahshahsha *---*
Nhaaa aiba apareceu d nvo *----*
Qm é essa pesoa hein?
*mto curiosa*
Nhaaa adoro a fic, ela é tao divertida e fofa ao msm tempo *----*
Mais mais mais!!!!
ah eu nao sei se é melhor vc agitar ou ir c/ calma
qro agitaçao ms qro q va c/ calma p/ ter mais caps tbm hehe

haha... pois é... Depois de conviver com nyanta por um tempo também, deve ter se acostumado. XD
néaaaaah! essa parte do bolo foi para enfatizar que ele estava bem triste mesmo! hahahahaha!
TegoMass só apronta~! e pode esperar mais dessa dupla daqui pra frente viu! hahahaha!
pois é... Aiba apareceu... acho que daqui a pouco não resisto e vou acabar acrescentando o Sho... hahahha.
sakuraiba!ninja [?]

oh... a pessoa.... como disse..... algum mebro do NEWS.... agora.... qual dos dois? hahaha. mistérios da vida...

fico feliz que esteja lhe agradando tanto~! é tão bom ouvir isso~! <3 heuheuehe.
hum.. mas desse jeito vou ter que decidir no sorteio....? XD
hahaha.
apesar de achar que vou escrever uma side-story dessa fic depois... com enfoque em outro casal...
se bem que por enquanto devo me focar somente em terminar essa, né? XDDD

agradeço o review novamente, okz? <3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Nara
Johnny's senior
Johnny's senior
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2833
Idade : 33
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : bióloga
Unit Favorita : NewS, Arashi, Kanjani8, V6
Data de inscrição : 26/05/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qua Fev 03, 2010 4:22 am

Obaaa mais d Tegomasu uhuu \e/
Obaa coloca o Sho sim *----*
Hm ate imagino qm possa ser essa pessoa, ms posso estar enganada tbm xD
é entao vai ser no sorteio msm hsahshahs
aaaaa uma side-story dessa fic? *----*
c/ outro casal? *----*
aaa ms qual?
aaaaa faz, faz, faz sim pleasee
vc só me deixou mais curiosa c/ td isso hehe
E sim enfatizo q AMO sua fic *-----*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://micellanews.blogspot.com/
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Seg Fev 15, 2010 6:09 am

To: Nara

hahaha! Sho-chan é? Acho que vou por sim... huhuhu. Já que você pediu, não tem como negar esse pedido, né?
oh... espero que tenha acertado. a pessoa misteriosa será revelada nesse capítulo. <3
hhahahahaa! pode deixar. pra esse sorteio, já deixei até o papel pronto (detalhe que todos estão em branco então não irá adiantar em nada).
oh sim. mas o que eu pretendo usar pra side-story ainda nem começou nessa fic. haha. ai ai... acho que a side sotry irá me dar um trabalho maior, mas quem sabe não a escrevo mesmo?
hahaha!
mais pra frente, com a revelação de outro casal, acho que você vai saber quem serão os donos da side sotry. apesar do pessoal aqui não estar acostumados com esse pairing.... =P mas corro o risco. XD <3
own~! dear~! mesmo? então tenho um pedido. me diga qual é seu otp. (over top pairing) ou seja, seu casal preferido, o topo. quero saber. <3

N/a: o live journal me fez cortar esse capítulo em quatro partes. fiquei em choque com isso. ele NUNCA me pediu pra cortar um post por ser grande demais....

~*~




「Capítulo 05」
「小山 p.o.v.」

Exausto, me jogo na cama, mirando o teto com a mente em branca em silêncio, por uns cinco minutos. Sento-me na cama repentinamente, passando minhas mãos pelo meu cabelo bagunçando-o num movimento frenético.

-AAAaaaaaaaaaaaaah! Não agüento mais isso! – novamente largo meu corpo de volta para aquela cama, suspirando pesadamente. Nyanta e TegoMass estavam fazendo de minha vida um verdadeiro inferno esses dias...

Ficaria tão feliz se esse plano cupido deles tivesse se restringido a ficar elogiando Yamashita-kun... Mas não. Tinham que contar com ajuda de Nyanta, e o pior de tudo: dar ouvidos a ele. Graças a isso, pude ter momentos bem embaraçosos e em quantidade maior do que havia imaginado ter para a vida inteira! O que Yamashita-kun deve estar pensando sobre mim agora? Droga, não quero nem imaginar...

Também, depois de ter acidentalmente derramado suco em sua roupa, queimado o almoço, caído em cima dele, tê-lo visto no banho sem querer e quase termos nos beijado pelo empurrão ‘sem querer’ de Tegoshi... Sem contar que Nyanta, aquela desgraça de gato interrompe as conexões com todos apenas para que eu, sem escolha, o ouça opinando sobre o cor..... o corpo de Yamashita-san..... Não precisava daqueles comentários, sinceramente... Mesmo porque eu poderia muito bem ter notado sozinho... Aaaaaaaaaaaaaah! Mas que raios eu estou pensando?? Droga, droga, droga.... Eles estão me afetando! Alguém me salva antes que seja tarde demais! Socorro Yamapi! Hein? Mas por que raios estou chamando pela ajuda dele? Não... Se acalme, se acalme... Calma Keii-chan... Você só lembrou dele porque nós dois somos vítimas disso... Isso, nós dois somos apenas vítim....

-Keii-chan? Está tudo bem?

Com meu berro de susto, ele apenas dá um passo para trás assustado.

-Desculpa... Não quis te assustar... É que... Ultimamente você parece meio distraído... Anh... Mais do que o normal... E... hum... Aconteceu alguma coisa? Você estava rolando na cama parecendo um pouco desesperado...

-Y-y-y-Yamashita-san! – ele apenas franze o cenho e eu sinto um desejo enorme de me bater por não conseguir falar direito – Não! Está tudo bem! Não precisa se preocupar... É que... Eu estava... Pensando em inventar um novo prato! É! Inventar um novo prato! Sabe o que é? Outro dia eu estava assistindo televisão e estavam comentando em como é importante usar a criatividade na cozinha sabe? Aí fiquei com vontade de tentar também... Só isso...

Ouço-o suspirar e ele se desencosta da porta, andando calmamente em minha direção e sentando-se ao meu lado. Sentindo meu nervosismo aumentar, apenas desvio o olhar, encarando minhas mãos que se apertavam por eu não saber o que fazer com elas, não podendo ver o repentino brilho de tristeza que apareceu em seus olhos. Calor. O que eu sinto a seguir é apenas o calor de seus dedos que se encostam a minha bochecha numa leve carícia, quase sem tocar meu rosto e em seguida você me força a virar o rosto para te encarar. Olhos nos olhos. Minha respiração fica presa. Essa sua expressão séria... É a primeira que você a mostra para mim, não é? Já conhecia todas as suas outras faces: alegre, sorrindo, contente, confusa, tímida... Mas séria é a primeira vez. Isso significa que estou encrencado, não é?

-Koyama... – sua voz vai diminuindo, quase sumindo, mas ainda sim claramente audível – Não minta para mim.

Foi tudo o que bastou. De repente, pude sentir tudo a minha volta desmoronar.

「山P p.o.v.」

Deitado no sofá, eu encaro a minha mão direita que está erguida. Por que me sinto tão confuso esses dias? Hah, como se eu não soubesse a resposta já. Tudo começa com Keii-chan agindo estranho. Aliás, é tudo culpa dele. Não sei o que acontece com ele... Anda tão distraído esses dias... E o pior de tudo é que não quer me contar qual é o problema. Um sentimento de mágoa me domina. Bom... É de se esperar... Eu o ajudei tanto e mesmo assim é desse jeito que sou retribuído? Não sou digno nem ao menos de compartilhar suas preocupações? Mordo meu lábio inferior. Pra piorar eu ainda quero, não, eu preciso ajudá-lo. Como eu sou patético. Dá vontade de rir de mim mesmo... Mesmo Koyama me ignorando e evitando (confesso que é difícil fazer isso quando convivemos no mesmo apartamento, mas não sei qual o milagre que ele usa para conseguir isso), não consigo evitar me preocupar ainda mais com ele. Talvez eu devesse conversar com Nyanta? Quem sabe a atitude dele é apenas culpa da maldição? Inevitavelmente a esperança começa a me dominar...

-Hey Yamashita! Tudo bem aí? – pisco quando percebo uma mão estalando os dedos na minha frente – estava te chamando já faz um tempo, mas você não saía desse sofá... O que aconteceu? Parece que está com problemas...

-Nada... – sorri para a pessoa a minha frente que apenas arqueou uma sobrancelha duvidando de minha resposta – é que... –suspiro cansado – tem uma pessoa que está me dando problema ultimamente...

-oh... – o sorriso malicioso se fez presente em seu rosto – huum... Problemas amorosos é? Interessante...

-Nada disso! – respondi rindo – É meu gato... Aquele que adotei outro dia sabe? Cuidei bem dele desde aquele dia, mas parece que ele não consegue confiar em mim ainda...

-Gato, sei... Bom... Não se preocupe tanto. Quando ele achar que está pronto para te contar, ele contará. Vai ver ele apenas não conseguiu juntar coragem para fazer isso.

-E por que ele iria necessitar juntar coragem? Não compreendo...

-Baaka! – recebo um leve tapa na testa – Nem todas as vezes os problemas são fáceis de ser encarados, sabia? De qualquer forma, apenas dê um tempo. Tenho certeza que depois vai estar tudo bem entre vocês. – concordei silencioso, pensativo – Né Pi... Você não vai me contar mesmo quem é essa sua namorada?

-Eh? – apenas disse isso por ter sido pego desprevenido.

-Papaaaa! – escutando aquela voz familiar, apenas murmuro um ‘yabe’ e Toma me dá um olhar de pêsames.

-Boa sorte pedindo desculpas para mais alguém, ‘papai’. – rindo baixinho ele dá um leve soco em meu ombro, tentando me dar uma força e logo sai da sala, me deixando sozinho com Tegoshi que logo chegava.

-Né, né! Yamapi? – disse entrando na sala e após me ver, seu sorriso se abre mais ainda, cobrindo todo o rosto – Yamapi! Olha, vem ver! – ele abriu o pote de bentou que trazia consigo – Hoje como eu só ia vir mais tarde aqui, passei na sua casa e olha! Ganhei bentou! Keii-chan fez um bentou pra mim! Sugoi ne~! Olha! Ele até cortou o nori em forma de estrelas para colocar no onigiri!

-Wow! Que bom hein Tego! Isso quer dizer que você se comportou bem hoje lá? – ri enquanto ele afirmava com a cabeça – Ou Keii-chan fez isso para que você viesse logo e parasse de encher o saco dele?

-Que cruel! – ele faz uma cara de magoado- Papa é muito cruel!! Vou falar pra Mama parar de fazer seu bentou! – enchendo as bochechas de ar, ele faz bico, mas no momento que começo rir, ele sorri também – Mas né... Mama disse que sempre deixa apenas os melhores pro bentou do Papa. Quer dizer que Mama sempre capricha nos seus bentous, né? – pego surpreendido, fico sem resposta. Keii-chan se esforça tanto assim para mim? – E como papa não merece, eu decidi! Vou ficar com os dois bentous! – dito isso Tegoshi correu para minha mala pegando meu bentou e saindo correndo com os dois potes na mão.

-Oi! Tegoshi! Pode voltar! – praguejei baixinho e me levantei do sofá, começando a correr atrás daquele demoniozinho – Tegoshi! Devolva já esse bentou aqui! Tego! Vai ficar de castigo! Tego!

-Massu! Socorro! Papa quer me matar! – disse se protegendo atrás de Massu que comia um pedaço de salsicha com formato de polvo, provavelmente arte de Koyama também.

-Eh? Papa?

-Tego devolva já o meu bentou!

-Mas Papa não merece! Papa disse que eu só dou trabalho! – me mostrou a língua em seguida, apenas para provocar mais.

-Ah. – Entendendo o que estava acontecendo, Massu pega meu bentou das mãos de Tego, sob protestos do mesmo, me entregando sorrindo. – Papa. – Sorrindo, recebo o bentou e logo bagunço seu cabelo em um gesto de carinho, agradecendo. – Né... Agora que te ajudei, posso receber um pedaço do seu bentou? –ri baixinho enquanto ele me dá aquela carinha de cachorrinho pidão – onegai?

-Ah... Não tem jeito, né? Tá certo. Hoje eu divido com vocês dois. Mas só hoje hein? – escuto apenas o grito de felicidade dos dois enquanto abro o pote balançando a cabeça negativamente. Espero que Keii cozinhe bastante pra janta já que vou ficar sem almoço...

-Né... Yamapi... – apenas levantei o olhar, observando Tegoshi que comia lentamente um onigiri, como se estivesse apreciando-o ao máximo – Você sabe do que Keii-chan gosta?

-Keii-chan? Depende... O que tem em mente?

-Tegoshi está pensando em dar algo ao Keii-chan... Já que daqui a alguns dias teremos o valentine Day.

-Hum... Mas... Se está pensando em presenteá-lo nesse dia, o mais óbvio seria com chocolate, certo? – Massu concorda comigo acenando enquanto meu outro filho continua pensativo.

-Mas mesmo que seja chocolate, não sei qual ele prefere... E eu queria dar algo que Keii-chan ficasse feliz em receber...

-De qualquer forma, creio que ele já ficaria feliz somente com sua intenção. Tego... – ele retorna sua atenção para mim que o encaro sério – mas nada de chocolates com pimentas ou qualquer experimento desse gênero. – ele apenas ri inocente, escapando de me prometer isso.

-Yamapi também irá dar chocolates? – Massu me pergunta após terminar sua refeição – se bem que... Nunca vi Yamapi dar chocolates no valentine Day.

-Hum... É... Prefiro comprar alguma coisa pro White Day do que ter que fazer algo...

-Yamapi é mesmo preguiçoso né... – ri brevemente da acusação de Tegoshi – Acha que Keii-chan faria um chocolate para mim se eu pedisse?

-Alguma vez Keii recusou alguma coisa pra vocês? – recebendo um ‘não’ em resposta, sorrio divertido – Afinal ele é uma mãe coruja que faria qualquer coisa que vocês pedissem num piscar de olhos. Tsc. Já disse que ele mima vocês demais.

-Né... – devolvo o olhar curioso que Massu me lança – aconteceu alguma coisa?

-Como assim?

-Hoje Keii-chan estava agindo um pouco estranho... Estava bem desastrado né? – com a confirmação de Tegoshi, continuou – Toda vez que falávamos seu nome, ele errava alguma coisa, derramava as coisas ou até tropeçava.

Franzi o cenho. O problema era mencionar meu nome? Eu fiz algo à ele por acaso? Não me lembro de ter feito nada de errado. Percebendo que os dois à minha frente ainda prestavam atenção em mim, suspirei pensando em algo a dizer.

-Ontem eu o ouvi murmurando algo no quarto e quando adentrei, ele estava rolando na cama e parecia ter problema com alguma coisa... Perguntei se ele queria conversar, mas ele apenas desviou o assunto, rindo forçadamente. Achei então que era um assunto que eu não devia me meter até ele começar a me evitar depois disso.

-Huuum... – Ouvindo isso, olhei para Tegomass desconfiado.

-Vocês não tem nada a ver com isso, tem? – arqueei a sobrancelha ao ver os dois quase pularem ao ouvirem isso e negarem mexendo a cabeça freneticamente. Estranho, bastante suspeito.

-Né Massu – pude ouvir Tegoshi falar baixinho, provavelmente me evitando de escutar a conversar enquanto puxava Massu para um canto – será que o plano está fazendo efeito?

-Mas se for isso, por que ele está evitando Yamapi? Não deveriam se entender mais?

-Er... Talvez ele esteja com vergonha? Mas de qualquer forma, temos que avisar Nyanta sobre isso! Se Keii-chan continuar evitando Yamapi, nosso plano não irá dar certo...

Talvez eles realmente tenham algo a ver com Keii. Mas, dando de ombros, saí da sala. Se eles estão dispostos a ajudar, não vejo a necessidade de perguntar o que fizeram. Provavelmente apenas mais alguma travessura. Mas... No caso de eles serem inocentes dessa vez, ainda há a possibilidade de Keii estar bravo ou incomodado comigo. Presente é? Quem sabe não seja uma boa para pedir desculpas? Ainda mais porque não tenho a mínima idéia do que eu possa ter feito... Com esse pensamento, me dirigi até a sala onde iria acontecer um photoshoot para uma revista de moda, meu trabalho de hoje.

-Hey Yamapi! – ergui a cabeça e encarei o pacote em minha frente – Toma. Dê isso aqui para o seu “gato de estimação”.

-Toma... O que é isso?

-A prova de que sou um amigo bem legal. Como eu tava livre hoje de manhã, resolvi passear, e enquanto passava em frente a uma loja, encontrei isso aqui. Acho que deve servir pro seu caso. Entregue isso pra ele e peça desculpas por qualquer coisa que você tenha feito.

-O que? Você comprou... – fiquei sem fala ao ver o que continha naquela caixa, sorrindo cúmplice ao mesmo tempo em que me sentia agradecido – Valeu. Vou ficar te devendo uma com isso.

-Relaxa. É pra isso que servem os amigos, certo? Ah, e teve sorte que está na época de Valentine’s Day ou eu nem iria conseguir achar isso aí.

Sem mais uma palavra, peguei minhas coisas e corri em direção ao estacionamento, encontrando meus dois filhos no caminho. Pedindo desculpas, pedi que ao invés de virem hoje, que viessem amanhã e que como recompensa, os deixaria fazer uma pequena festinha de pijama lá em casa. Tive a ligeira impressão de ouvi-los me desejarem boa sorte, e com isso, me dirigi à minha própria casa com um sorriso no rosto. Se isso não conseguisse me ajudar, eu estaria perdido.

「小山 p.o.v.」

Assustei-me levemente com a animação que Yamapi disse ‘tadaima’ e respondi um ‘okaeri’ rápido, voltando a concentração ao okonomiyaki que por sorte não havia queimado. Yamapi parece ter tido um dia bom, o que me fez sorrir levemente. Talvez assim fosse mais fácil pedir desculpas por ter-lo evitado esses últimos dias. Nyanta, ao meu lado, sorriu desejando-me boa sorte antes de deslizar do balcão da pia e ir caminhando em direção a sala, fornecendo-nos alguma privacidade.

-Keii?

-Estou aqui, na cozinha. Só estou terminando de ajeitar as coisas aqui.

-Precisa de ajuda?

-Não. Está tudo bem, acabei de terminar. Vamos nos sentar? Acho que já deva estar com fome.

-Ah sim, nem me fala. Nem consegui almoçar hoje. – franzi o cenho preocupado. Será que errei alguma coisa? Mas tenho certeza que TegoMass havia dito que estava bom quando provaram... Vendo minha cara de preocupação, Yamapi logo se apressa a explicar – Não tinha nada de errado no seu bentou, pode ter certeza. Aliás, pelo contrário. Parece que TegoMass gostam tanto da sua comida que resolveram que somente o bentou deles não bastava e pegaram o meu. – ri ao ouvir isso, aliviado.

-Isso é porque o pai deles é tão bonzinho que os deixa fazer o que quiserem certo?

-Errado. Porque a mãe deles também tem culpa de mimá-los demais.

-Oh, creio que isso nos torna os dois culpados então. – chegando a esse acordo, rimos da simples besteira de estarmos discutindo como se fôssemos de fato uma família. Não que não os amasse como uma, mas era engraçado como fingíamos levar a sério essas pequenas discussões. – Mas... Não irá me contar nada? – recebendo um olhar perdido, resolvo continuar – Chegou com tanto bom humor hoje apesar de estar de barriga vazia, que me leva a concluir que algo de muito bom deva ter acontecido.

-Ah sim, isso. Isso... – sorriu a me ver curioso – é segredo até depois do jantar. Gato curioso.

-Não é justo! Sabia que a curiosidade matou o gato? Irá me matar de curiosidade assim! – emburrado, fiz bico, fingindo estar bravo com ele que por sua vez apenas riu da minha desgraça.

-Não fique assim. – o senti acariciar meu cabelo, brincando um pouco com eles, enquanto nos sentávamos à mesa de jantar, prontos para começar a refeição - já lhe disse que te contarei depois do jantar, não disse? Você não irá morrer nesse breve espaço de tempo vai? Garanto-te que você agüenta Keii.

-Dono sádico. Deveria te denunciar aos defensores dos animais, sabia?

-Sei que não vai. – riu sossegado.

-Né, Yamapi.

-Hum?

-Gomen... Peço desculpas pelos últimos dias. Por ter te evitado... Eu sinto muito.

-Está tudo bem. – seu sorriso doce e calmo fez meu coração pular um pulso. O que era isso? Estava começando a sentir meu rosto corar. Isso é mal. Definitivamente mal.

Depois disso comemos em silêncio, com exceção de algumas vezes que Yamapi começava a rir sozinho e após minha curiosidade vencê-lo ele contava o que nossos filhos haviam aprontado na agência, me fazendo recordar do fato de que quase conseguiram colocar fogo na cozinha hoje quando tentaram me ajudar a preparar os bentous, e da briga que tiveram para ver quem iria experimentar os pratos primeiro.

-Ah, Tegoshi também estava pedindo chocolate pro valentine’s Day.

-Valentine’s Day? Ah, quase havia me esquecido disso.

-Se quiser, amanhã posso comprar os ingredientes. É só me dizer o que são e quantos, que eu compro. – sorri em agradecimento. – E... Gomen ne Keii... Eu deixei TegoMass virem fazer uma festa do pijama amanhã... – vendo meus olhos arregalarem, Yamapi voltou a se desculpar- Gomen! Eu prometo que te compenso de algum jeito depois!

-Poderia me compensar agora, contando aquilo que você está fazendo segredo. – ele riu, confirmando com a cabeça. – O acordo era até depois do jantar. Já acabamos de jantar Yamapi.

-Bom... – ele coçou a cabeça nervoso e sorrindo sem-graça – eu já volto, e não, não estou fugindo. Eu prometo que volto logo, ok?

Como prometido, ele voltou logo. Aliás, ele somente foi até a sala buscar um pacote que havia deixado ali, jogado no sofá, como se tivesse sido proposital o modo que o pacote parecia largado, apenas para atiçar mais ainda minha curiosidade. Após retornar, depositou o embrulho em meu colo, e eu apenas encarava o pacote vermelho com o laço prata para depois desviar a atenção para seu lindo rosto que sorria satisfeito.

-Pode abrir. É seu.

Com a boca levemente aberta e os olhos um pouco arregalados, volto a encarar o pacote em meu colo, como se fosse algo que via em minha frente pela primeira vez na vista. Abri-o lentamente, como se tivesse medo do que aquilo continha, deixando-nos, eu e ele, na ansiedade até conseguir abrir por completo. Assim que abri, custei a acreditar que aquele presente era meu. Era até que simples o enfeite, mas era isso que o matinha belo. Um colar de prata, que não deve ter sido nem um pouco barato, que continha como pingente, dois pequenos anéis entrelaçados que brilhavam, um preto e outro branco. E se prestasse a atenção nos detalhes, na parte de dentro dos anéis, aonde eles se entrelaçavam, havia um desenho pequeno de um coração. Desviando os olhos devagar do colar até seu rosto que me encarava em expectativa, pude me ouvir dizer baixinho.

-É lindo... – seu rosto de alívio completo quase me fez rir, se não tivesse algo me incomodando – mas... Por que estou ganhando isso? Pelo que saiba, não é nenhuma data especial...

-É só que... Achei que você iria se animar com isso... E também como pedido de desculpas. Como você parecia me evitar, achei que tinha que pedir desculpas se fiz algo de errado e acabei te incomodando...

-Não, não foi nada disso! – meus olhos se arregalaram ao ouvi-lo dizer que pensava ser sua culpa. Me senti tão idiota por ter-lo preocupado que desejei me bater – Yamashita-san não fez nada de errado! É só que eu estava um pouco confuso antes, mas te garanto que não estou mais! Se alguém aqui deveria pedir desculpas, sou eu. Por favor, me perdoe. Esse... Esse presente desculpe, não posso aceitá-lo já que a culpa não foi sua. – estendi o pacote para ele, que se recusava a recebê-lo. – por favor, Yamashita-san.

Sorrindo, ele se aproximou de mim, suas mãos cobrindo as minhas, me fazendo segurar o embrulho com mais força.

-Fico aliviado que eu não tenha feito nada de errado então, mas, Keii, quero sinceramente que aceite esse presente. –antes que eu pudesse retrucá-lo, um dedo indicador seu repousa em meus lábios. – Por favor, seria importante para mim se você aceitasse. – seu rosto se aproximava do meu, e logo eu não conseguia desviar meu olhar do seu, hipnotizado pelo brilho que eles emitiam e sua voz começou a soar tão suave que quase não compreendia direito o que estava dizendo. – Você aceitaria esse presente por mim Keii? – senti sua respiração tocar em minha face e em um breve movimento de ‘sim’ com a cabeça, te sinto se aproximar mais, e depois nossos lábios estavam se tocando.

「~*~」

Depois do episódio do beijo, nenhum de nós havia tocado nesse assunto, e acabamos apenas voltando a rotina normal, como se nada daquilo realmente tivesse de fato acontecido. Eu mesmo começava a achar que havia sonhado com aquilo, mas sempre ao ver o colar que usava agora, um sorriso se recusava a sair de meu rosto assim como eu recusava a tirar aquele colar. Era como se o colar tivesse virado minha coleira. E só o simples fato de fazer essa comparação, não sabia se devia rir ou chorar ao lembrar que ainda continuava preso nesse apartamento.

-Ah, o que estou pensando? – chacoalhei a cabeça tentando espantar esses pensamentos e tentar terminar os chocolates. Hoje é dia de Valentine’s Day e Tegoshi até havia me acordado mais cedo ligando e me perguntando se eu me lembrava que dia era hoje. Suspirei. Tinha terminado a tempo. Olhando para o relógio, constatei que era hora de acordar Yamapi já que depois de sair com os amigos para beber ontem, não me parecia que ele fosse conseguir acordar sozinho para ir trabalhar.

Ao chegar à porta de seu quarto, o observei respirar calmamente, o que indicava que ele ainda estava dormindo, apenas de cueca e enrolado no cobertor. Seria uma cena linda, digna de ser retratada em um quadro, se não fosse o fato de ele estar babando no travesseiro e o movimento de coçar o traseiro antes de voltar a posição original. Ri baixinho, e como não queria que ele se atrasasse, resolvi acordá-lo.

-Yamapi? Está na hora de acordar. – apenas ouço grunhidos em resposta – Vamos, tem que se levantar ou terá que sair correndo sem ao menos tomar o café-da-manhã.

-Não quero... – sua voz rouca ecoa pelo quarto, me fazendo sorrir ainda mais.

-Ah, quer sim. Melhor levantar logo antes que eu conte que você também age como uma criança mimada para aqueles dois pestinhas.

-Não é justo Keii.

-Sei que não. Mas vamos. Já preparei o café-da-manhã. Até já deixei pronto os comprimidos para sua provável dor de cabeça. – aceitando seu murmuro como um agradecimento me levanto de sua cama, dando umas palmadas em sua bunda, como se fosse realmente sua mãe tentando te acordar – levante-se antes que eu venha lhe jogar água.

Sorrio satisfeito ao te ver levantar, deixando seu quarto e retornando a cozinha. Valentine’s Day é? Fazia tempo que eu não comemorava essa data assim. Cantarolando uma música qualquer, comecei a tomar meu café-da-manhã na frente, afinal, a culpa era sua por demorar tanto para acordar, né? Ri baixinho enquanto passava a manteiga no pão.

「山P p.o.v.」

-Papa! E meu chocolate?

-Bom dia para você também Yuuya. – rindo de minha resposta, Tegoshi me diz bom dia ao mesmo tempo em que Massu e os dois me olham com expectativas.

-Você trouxe, não trouxe? – ouvindo essa voz ansiosa, não consegui resistir e resolvi judiar um pouquinho dos dois.

-Aquilo? Do que está falando?

-Ehh! Do chocolate! Mama te mandou os chocolates, não mandou? – a cara de desespero dos dois por causa do chocolate é hilária, tenho que admitir.

-Chocolate? Ah... Deve ser aqueles lá que eu esqueci em cima da mesa de casa...

-Ehhh! Papaaaaa! Como pode ter esquecido?

-Happy Valentine Day. – ri enquanto entrega o pacote de cada um.

-Yattaaaaaaa! – a alegria dos dois era tão grande que nem brigaram comigo por ter judiado deles.

-Não se esqueçam de agradecer Keii-chan, hein. – mas nem tinha dito isso e os dois já estavam telefonando para casa, enchendo Koyama de elogios e agradecimentos.

Entrei na agência e logo senti um braço envolvendo meus ombros, me empurrando para a sala em que eu deveria estar. Não senti vontade de me livrar delas, porque já sabia quem era.

-Então? O que quer dessa vez?

-Você sabe. E aí? Deu certo? Já recebeu o chocolate de hoje?

-Toma! Como você é curioso! A curiosidade matou o gato, sabia?

-Ele tem sete vidas, nem precisa se preocupar com isso. Mas não desvie do assunto! E aí? Ganhou?

-Não. Ainda não.

-O quê? Mesmo depois de entregar o presente ele não te perdoou?

-Não é isso – ri levemente – também acho que ele estava ocupado demais tendo que fazer chocolate para duas certas pessoas que já me abordaram lá na porta. Escutei o telefone tocar hoje de manhã. Aposto que era um deles acordando Keii-chan.

-Ah, entendo. Então tudo bem. Mas quero escutar os detalhes amanhã, ouviu? Ah, juízo hein Pi. Usar chocolate é bom, mas lembre-se de se proteger, use camisinha hein!

-Toma! – desviando da almofada que joguei em sua direção, ele sai do camarim rindo, sem olhar para trás para meu alívio, pois sentia que meu rosto havia corado e tanto.

Balançando a cabeça tentando tirar a idéia que ele havia me posto, tentei me acalmar para poder trabalhar. Não podia ir com o rosto corado desse jeito, certo? Mas... Pude perceber mais tarde que começava a ficar ansioso para receber o chocolate de Koyama, mesmo sem entender direito o por que.

A noite custou a chegar, apenas para fazer minha ansiedade crescer mais, e mal pude notar como consegui chegar em casa tão rápido. Torço para que depois não venha nenhuma carta de multa. Vi-me tão ansioso que até mesmo antes de abrir a porta de casa, tive que engolir em seco, tentando me acalmar primeiro enquanto podia ouvir até as batidas do meu coração.

-Keii?

Sem resposta, adentrei o local que estava um pouco escuro e acendendo as luzes no caminho, pude notar o banquete que estava a minha frente. Wow. Se eu não fosse ganhar o chocolate, eu não ligaria. Não quando eu estava prestes a ganhar um banquete maravilhoso a minha frente. E olha que nem é natal.

-Yamapi? Já chegou? Nossa, um pouco cedo hoje. Er... Acha que eu exagerei? – pude ver seu rosto levemente corado em vergonha e não pude evitar sorrir.

-Alguma ocasião especial para termos esse banquete?

-Hum... Agradecimento pelo colar? E quem sabe... Podíamos ter um encontro de Valentine Day para comemorar esse dia? – perguntou-me meio incerto. Como se eu pudesse recusar, não é mesmo?

-Claro. Apenas vou me lavar e já começamos a jantar, ok? – com um aceno afirmativo, me dirijo ao banheiro, e logo depois já estávamos jantando.

Nunca tive um encontro tão agradável, devo admitir. Apenas jantamos como se fosse outro dia comum apesar de todos os enfeites na mesa e os pratos caprichados que saboreávamos. Havia até mesmo vinho para nos deliciar! E mesmo Koyama me repreendendo levemente pela pequena travessura de manhã com TegoMass, ele também riu divertido, dizendo que também gostaria de participar na próxima vez.

Jantamos, assistimos a um filme na sala, e conversamos bastante enrolados com um mesmo cobertor no sofá, rindo de besteiras e tramando pequenas aventuras para testarmos em nossos filhos, que na verdade nunca iríamos conseguir colocar em prática. Uma noite agradável, com a lua minguante brilhando no céu da escuridão.

Me divertindo tanto com Keii, como é que eu poderia imaginar que aquilo um dia viria acontecer...?

「???? p.o.v.」
Sorri ao chegar ao endereço marcado no papel rasgado, a letra corrida, mais ainda sim legível. Um prédio muito bonito devo admitir. Yamashita Tomohisa devia ganhar bem para conseguir pagar um apartamento desses. Apenas observei a janela do nono andar. Finalmente depois de tanto tempo eu te achei, não é mesmo Koyama?

「小山 p.o.v.」
Acordei com um sorriso doce nos lábios recordando o dia anterior. Podíamos chamá-lo de encontro, mas sabíamos que não era um de verdade. Encontros são feitos com casais, algo que nós dois não somos. Foi um encontro. Mas em vez de casal, foi apenas entre amigos. Senti uma leve tontura ao me levantar da cama, e praguejei baixinho por ter tomado vinho um pouco mais do meu limite. Andando vagarosamente, somente depois é que pude perceber que pela primeira vez, havia acordado tarde e Yamapi já havia deixado o apartamento.

Pelos céus! Ele até teve o trabalho de deixar o café-da-manhã pronto! Sentindo-me um pouco revoltado comigo mesmo, comecei a saborear o café com um sabor ao qual não estava acostumado, mas que não deixava de ser delicioso. Até sentir um frio na espinha e meus olhos arregalarem e meu rosto empalidecer. Não. Não podia ser. Corri até a sacada do prédio e olhei para baixo. Enquanto minha boca se abria em surpresa, pude ver no rosto daquela pessoa que me encarava seu sorriso se abrir. Céus! Estava eu delirando? Sem pensar muito, saí do apartamento e desci as escadas sem nem me tocar que finalmente havia conseguido sair do apartamento ou o rosto de Nyanta que parecia me desaprovar enquanto apenas continuava sentado na sala me observando.

Não podia crer que aquela pessoa estava aqui! Simplesmente não conseguia! Quando passei pelo portão do prédio e parei em frente daquela pessoa que ainda me encarava sorrindo ao lado de seu gato preto que me olhava curioso enquanto eu arfava em busca de ar, pude ouvir minha própria voz o chamando, sem nem ao menos perceber.

-Shige! - ele apenas sorriu mais ainda se aproximando de mim enquanto Wagahai me cumprimentava sem se mexer daquele ponto.

-Há quanto tempo... Keii.

「山P p.o.v.」
Como estava de bom humor desde que acordei! Aliás, por algum milagre, consegui acordar mais cedo que de costume! Surpreendeu-me também o fato de Keii ainda estar dormindo mesmo na hora em que eu estava saindo para vir trabalhar. Talvez ele tenha gastado toda sua energia preparando aquele banquete de ontem.

-Que bom que está de bom humor Pi. Agora pode me contar sobre ontem. Tudo, detalhe por detalhe. – ri enquanto Toma sentava a minha frente, esperando que eu começasse a relatar os fatos de ontem para ele. E foi no meio dessa conversa que Tegoshi chegou desesperado me abraçando com lágrimas nos olhos.

-Yamapi! Temos um problema sério! – antes que eu pudesse perguntar algo, ele já me respondia – Keii-chan sumiu! Ele não está em lugar algum!

Senti meu coração parar, meu sangue congelar enquanto meus olhos arregalavam.

-Keii... sumiu?


N/A: descobriram a pessoa misteriosa? acertaram? espero que sim. <3
ah... para quem não sabe, na vida real, Wagahai é o gato de estimação de Shige, aquele mesmo que conta as coisas no nikki dele. Como Shige tem alergia a gatos, apesar de sua paixão pelos felinos, ele não pode ter um. nessa fic, vou realizar o sonho de Shige e livrá-lo da alergia. <3

N/A2: Happy Valentine Day para todo mundo. <3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Nara
Johnny's senior
Johnny's senior
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2833
Idade : 33
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : bióloga
Unit Favorita : NewS, Arashi, Kanjani8, V6
Data de inscrição : 26/05/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Seg Fev 15, 2010 4:49 pm

Citação :
mais pra frente, com a revelação de outro casal, acho que você vai saber quem serão os donos da side sotry. apesar do pessoal aqui não estar acostumados com esse pairing.... =P mas corro o risco. XD <3
own~! dear~! mesmo? então tenho um pedido. me diga qual é seu otp. (over top pairing) ou seja, seu casal preferido, o topo. quero saber. <3
Hmm se é casal q o povo nao ta acostumado só pode ser qm to pensando
provavelmente o q apareceu na sua oneshot d Valentine's day certo? xD
Meu otp? dificil ja q qq casal relacionado a NEWS eu amoo, msm aqles q nao sao tao comuns, qq combinaçao d casal p/ mim ta valendo hehe, ms acho q talvez seria Tegomasu
esses 2 juntos é mto fofo *----*


Yeah acertei a pessoa misteriosa o//
bom ms tinha q ser ne é um tanto inevitavel em se tratando d Koyama rs
Nhaaa o Toma *----*
aaa q fofa a atitude dele *----*
shahshahshas Tegomasu só apronta haha, me divirto demais com esses 2
essa cena do bento foi hilaria haha, adorei
aii q lindos Koyapi e o banquete, msm q nao tenha rolado nenhum beijinho entre eles
Keii sumiu O_O
naaaaaaooooooo
aiai e agora?
mais mais mais
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://micellanews.blogspot.com/
Moshi
Administrador
Administrador
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 908
Idade : 23
Localização : Brasil ~! -q
Unit Favorita : NEWS
Data de inscrição : 28/09/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Seg Fev 15, 2010 8:32 pm

AH, eu não havia comentado...
mas eu continuo acompanhando e A.M.A.N.D.O a sua fic, menina ♥️
muuuito LOVE³

O TOMAAAAAA *----------------------------------------*
shahshahshas Tegomasu só apronta haha, me divirto demais com esses 2 [2]
eles são tudo <3 -q
HASOSAHIASHOAISHASOIHSAIOASHAISHAS

continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa XD


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Ter Fev 16, 2010 4:59 pm

Nara escreveu:
Hmm se é casal q o povo nao ta acostumado só pode ser qm to pensando
provavelmente o q apareceu na sua oneshot d Valentine's day certo? xD
Meu otp? dificil ja q qq casal relacionado a NEWS eu amoo, msm aqles q nao sao tao comuns, qq combinaçao d casal p/ mim ta valendo hehe, ms acho q talvez seria Tegomasu
esses 2 juntos é mto fofo *----*


Yeah acertei a pessoa misteriosa o//
bom ms tinha q ser ne é um tanto inevitavel em se tratando d Koyama rs
Nhaaa o Toma *----*
aaa q fofa a atitude dele *----*
shahshahshas Tegomasu só apronta haha, me divirto demais com esses 2
essa cena do bento foi hilaria haha, adorei
aii q lindos Koyapi e o banquete, msm q nao tenha rolado nenhum beijinho entre eles
Keii sumiu O_O
naaaaaaooooooo
aiai e agora?
mais mais mais

yeah. acertou em cheio. XDDDDDD hauhauhauha. <3
huuuuum. TegoMass é... <3

hahahahhahahah! verdade. inevitável em se tratando do Keii. fico feliz que tenha acertado. <3
néah... Toma é amor. <3 hahaha. acho o Toma tão bonzinho. <3

oh sim... TegoMass SÓ apronta. XD e eu só rio porque não sou eu o alvo deles. <3 hauhauhauha *apanhadoKeii*

mesmo, mesmo? yey! <3 era o que eu queria fazer~ uma ceninha romântica... bom... sobre o beijo... é né... eles ainda não viraram um casal oficialmente.... pelo menos nessa fic. ;D cof cof... hahaha.

yeaaaaaah. Keii sumiu~! <3 o que será que o Shige vai aprontar com ele, né~! <3

pode deixar! não vou te deixar nesse suspense... XD eu sei como é cruel...u_u'



Moshi escreveu:
AH, eu não havia comentado...
mas eu continuo acompanhando e A.M.A.N.D.O a sua fic, menina ♥️
muuuito LOVE³

O TOMAAAAAA *----------------------------------------*
shahshahshas Tegomasu só apronta haha, me divirto demais com esses 2 [2]
eles são tudo <3 -q
HASOSAHIASHOAISHASOIHSAIOASHAISHAS

continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa XD

como assim esqueceu de comentar? u_ú *aquela que faz isso direto XDDDDDDDDDDDD*

own. que fofo essa frase. <3

yeaaaaaaah! o Toma apareceu! XD na verdade eu ia por o Ryo, mas achei que ele iria gostar mais de uma entrada triunfal. '|D~

hahaha. TegoMass é a dupla que apronta né. <3

ok, entendido. XD pode deixar que continuo~!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qua Maio 05, 2010 3:44 am

N/A: hello my dears beloved ones. depois de muuuuito tempo, voltei (por um breve momento, butanywaywhocares?).
Então, como acho que preciso me desculpar com vocês pela demora enorme, aqui estou.
Como comecei a trabalhar od ia inteiro dears, não consigo ficar muito livre para escrever, mas o tenho feito toda meia hora de manhã que chego cedo lá no trabalho. (yeah, nesse ritmo quem sabe ano que vem não chega o próximo capítulo? hahah) e.... como meu trabalho envolve "atendimento", tem horas que não aparece uma alma viva sequer (das mortas não quero saber e que fiquem bem longe de mim. XD) eu, disfarçando um pouco das chefas, começo a teclar a fic. XD pois é. hoje tinha acabado de escrever este capítulo e quase consegui passá-la toda pro pc, mas por causa de um atendimentozinho falta uma parte e terminei em casa, ufa. XDDD anyway, espero que gostem deste capítulo.





「Capítulo 06」
「山P p.o.v.」

Essa é a primeira vez que fico com medo de passar por essa porta. Minha mão treme quando a levanto em busca da maçaneta. Respiro fundo enquanto encosto minha testa na porta, de olhos fechados. Quem tem medo de entrar na própria casa? Deixa de fazer cena, é patético demais – murmuro para mim mesmo antes de num fôlego só abrir a porta com pressa e entrar.

De olhos fechados tento escutar qualquer ruído que denuncie a presença de alguém. Depois de alguns segundos (ou será que foram minutos?) parado no mesmo lugar sem escutar nada, posso sentir o medo ficar mais forte. Abro meus olhos apenas para ver meu apartamento na escuridão. Engraçado... Antes de Kei, eu já estava acostumado a vê-lo assim, então por que agora me parece tão chocante?

Meus olhos desesperados vagam até o corredor, me fazendo correr até lá, procurando-o nos quartos, banheiros, cozinha... E nada. Cogitava até tentar procurá-lo nas gavetas do armário, me contendo logo depois. Posso estar desesperado, mas não preciso ser mais patético ainda, preciso?

Permito que meu corpo se afunde na sua cama, fechando os olhos enquanto sinto seu lençol debaixo de mim. Se eu me concentrasse, poderia até mesmo sentir seu cheiro, seu perfume pelo cômodo, impregnados em todos aqueles objetos. Talvez se eu abrisse seu armário e pegasse uma de suas roupas como é demonstrado nos filmes, naquelas cenas clássicas, pudesse senti-lo mais forte, mas eu não consigo. Não sei o que é pior: ver que ele não levou nada que o pudesse lembrá-lo de mim, ou levar tudo e me deixar sem nada, somente recordações, me deixar afogar apenas em lembranças.

Na verdade, o que é meu maior medo que me impede de abrir aquele armário é o de que ao abri-lo eu irei realmente aceitar o fato de que ele me deixou.

Pra dizer a verdade eu quero ficar com raiva, até mesmo odiá-lo, chamá-lo de ingrato, porém o choque em que ele me jogou me drenou as energias. Não tenho ânimo nem ao menos para pensar nisso, eu não quero pensar nisso.

Levo um susto ao sentir algo roçar na minha mão, mas não o suficiente para me fazer pular. Abro os olhos tentando focar e achar o que era. Erro meu, quero dizer quem era. Sorrio fraco ao mirar Nyanta e perceber que ele me observa com aqueles grandes negros olhos tristemente, como se pedisse perdão por algo que nem ao menos fez. Puxo-o para perto de mim e o abraço carinhosamente como se fosse Kei ali, o que não deixa em parte de ser verdade. Pensar na possibilidade de Koyama ter deixado uma parte sua comigo me acalmou. Pode ser que ao amanhecer Nyanta já não estará mais ao meu lado, mas ignorei isso e me permiti agarrar essa mínima esperança.

Ri ao pensar se era assim que os donos se sentiam quando seus queridos animais de estimação fugiam de casa, mas eu não posso pensar assim, posso? Porque por mais que brinquemos, sabia que não poderia classificá-lo como animal de estimação. Não, desde o início eu nunca, jamais o classifiquei desse jeito.

Ao ver Nyanta piscar seus adoráveis e brilhantes olhos continuamente mostrando seu cansaço, o puxei para mais perto de mim e depois nos cobrimos, fechamos os olhos e dormimos. Eu com a esperança de que tudo não passasse de um mero sonho ruim que esquecerei ao acordar.

「Nyanta p.o.v.」

Quantas vezes mais me fará tentar amenizar seus erros Keiichiro? Suspiro brevemente, atento para não acordar a pessoa ao meu lado. Contemplo seu semblante por um momento e ao notar a tristeza que se faz presente ali, apesar de preocupado com a situação, sinto vontade de sorrir um pouco.

-Sua preocupação para com meu outro eu é genuína, assim como seus sentimentos por ele, eu posso sentir isso. Fico realmente aliviado ao saber disso Yamashita... Bom, creio que em breve o chamarei pelo primeiro nome também, não é mesmo Tomohisa?

Uma brisa passeia pelo quarto, me fazendo virar a cabeça, voltando-me à janela e à prateada luz lunar que por ela passava. Levantando-me calmamente, vou em direção àquela que me chama, a bela pálida divindade que nos guarda e nos visita todas as noites. Sento-me à beira da janela e a admiro em silêncio por uns instantes até realmente fazer o que me foi pedido: conversar.

-Compartilho de sua preocupação minha Deusa, mas sabeis que não podemos e nem possuímos o poder para interferir. – fecho meus olhos para um pausa, pensando melhor na situação enquanto Yamashita permanece adormecido na cama de Keiichiro. – É verdade que não temos como interferir, apenas aconselhá-los, porém ainda sim lhe peço que não se preocupes. Conhecemos Keiichiro muito bem e ele jamais abandonaria Yamashita, que o acolheu e cuido dele sem ao menos se conhecerem. Só não possuo tanta certeza à respeito de Shigeaki, afinal ele é um dos poucos que Keiichiro obedeceria sem ao menos perguntar o por quê.

-Não fale desse jeito. Me dá a impressão que não gostas de Shigeaki. Nós dois sabemos o quanto aquele menino se preocupa e cuida de Keiichiro. – meus olhos se arregalam quando percebo a luz acinzentada à minha frente, em volta de uma bela mulher com o rosto delicado, sorriso encantador e sua aura pura com um leve toque sensual, a explicação do por que nos sentimos tão atraídos à lua.

-Oh, é um prazer conhecê-la pessoalmente minha Deusa. – ela apenas sorri agradecida, permitindo-me a continuar – Sim, gosto de Shigeaki, entretanto sei também que acaso o mesmo disser ao meu outro eu para nunca mais voltar, ele irá obedecer. Hesitante, talvez, mas irá.

Balançando a cabeça negativamente, fazendo seu belo, longo e liso cabelo balançar ao vento e os poucos sinos entrelaçados em suas madeixas enfeitando seu cabelo tocarem sua música, ela discorda.

-Deverias confiar mais em sua outra personalidade. – sua testa se franze um pouco ao mirar o corpo adormecido de Yamashita e antes mesmo que eu pergunte o que houve, ela me responde. – Perdoe-me, apenas me distraí com sua aura triste. Ele realmente está preocupado em não vê-lo mais, não está?

Dando passagem para que ela adentrasse e caminhasse até ele, me permito observá-lo mais um pouco.

-Sim, está. – suspiro cansado, e o olhar divertido dela sobre mim me faz arquear a sobrancelha. – Se já sabes o que pretendo, por que quereis ouvir a minha confirmação? – um riso breve ocupa o quarto enquanto ela passa a mão no cabelo dele, nem leve carinho que uma mãe faria ao seu adormecido filho. – E, sim, não irei sair daqui. Keiichiro mesmo que intuitivamente já escolheu e aceitou Yamashita como seu “dono”. – ela faz uma careta ao ouvir essa palavra.

-Ainda não gosto desse termo de “dono”. Não os ajudei para que seus descendentes virassem submissos aos outros...

-Mas eles ainda não sabem disso. Paciência minha senhora, quando a hora chegar eles saberão da verdadeira história, a verdadeira lenda. – com isso ficamos em silêncio. Eu observando a expressão de Yamashita se tornar cada vez mais suave, e o doce sorriso delicado de Kaguya Hime de satisfação. Trocamos olhares significativos sobre a situação e em um breve aceno de cabeça nos despedimos, sua imagem desaparecendo envolta de um brilho dessa vez dourado. – Bom... Agora com quem eu deveria conversar primeiro? Keiichiro ou Wagahai?

「Wagahai p.o.v.」

-Ora essa, pensei que viria mais cedo. Estive te esperando a noite toda, sabia? – sorri sem ao menos me virar para encarar meu visitante. Sem preocupação, continuei a admirar a paisagem da janela que se encontrava banhada pela luz lunar, minha vista preferida, diga-se de passagem.

-Estive um pouco ocupado, e você deve saber muito bem o por quê. – e de fato sabia. Mesmo assim o deixei continuar- Keiichiro não voltou hoje.

-Por um acaso está sendo super-protetor Nyanta? Shige nunca faria nada que pudesse prejudicar Kei-chan. Bom, pelo menos não intencionalmente.

-Sei disso, mas agora não se trata somente de Keiichiro, não é? – sua inquietação me incomodou um pouco, mas tratei de não prestar atenção nisso.

-Oh sim! O modelo! Diga Nyanta, como ele é? – sorte a minha não ser um cachorro, ou meu rabo iria estar se movendo de um lado a outro freneticamente. – somente sei seu nome e onde mora até agora. Yamashita Tomohisa, não?

-Yamashita é um bom rapaz. Se preocupa e cuida bastante de Keiichiro. – quis rolar os olhos ao ouvir o tom sério com que Nyanta falava, porém a curiosidade era mais alta.

-Falando desse jeito você mais parece o pai comentando do namorado da filha... – murmurei e ri quando ele me encara insultado. – Kei-chan não pára de mencioná-lo à Shige.

-E mesmo assim se esqueceu dele de alguma forma. Por que ele ainda não voltou? Nem ao menos para lembrar de avisar que estava indo à algum lugar...

-Ora essa! – ri de sua cara fechada. – Você deveria conhecê-lo melhor que eu! Keii-chan está tão feliz por poder sair de novo que nem ao menos pensou que poderia deixar alguém preocupado.

-Wagahai... Aonde eles estão? – percebendo seu cenho franzir em desconfiança, não pude fazer nada a não ser suspirar derrotado.

-Nyanta... Antes que eu te diga, preciso que fique calmo. – mexi-me desconfortavelmente – Posso até te ajudar depois com qualquer que seja seu plano...

-Wagahai... – meu nome dito nesse tom de aviso não é nada bom...

-Tá, eu falo. Eles voltaram. Estão na sede. – diante de seu olhar de descrença, acrescentei rapidamente. – Não é isso que você está pensando! Shige apenas quer informações sobre a situação de Kei. Ele nunca faria algo como “aquilo”, mesmo porque ele nunca ouviu falar nada a respeito. Eu não contei a ele. – vejo-o suspirar aliviado, me fazendo grunhir. – Se ele fosse tentar, eu o impediria de qualquer jeito também...

Ficamos em silêncio observando o brilhante satélite natural. A noite estava calma, silenciosa, perfeita para quem deseja dormir tranqüilamente, ou como no nosso caso, analisar nossa situação e pensar no que iríamos fazer. Em um tom de voz baixo, comentei com Nyanta.

-Talvez seja melhor permitir que os dois passem a noite na sede. Hoje não é lua cheia e a estrada pode ser muito perigosa para humanos. – ele apenas concorda com um aceno. – E sugiro que você também vá. Yamashita irá precisar de companhia amanhã, não é? Pode deixar que irei transmitir seu recado à eles. – com apenas uma troca de olhares nos despedimos, sua imagem desaparecendo diante de mim nem piscar de olhos.

「山P p.o.v.」

Desperto com a pata de Nyanta tocando meu rosto. Desnorteado olho para os lado tentando reconhecer aonde estava. O apartamento permanecia em silêncio, Nyanta me encarava curioso, sentado no meu colo.

-Koyama não voltou, não é? – a tristeza que senti ontem, voltou. – Será que... Ele não irá voltar mais? – perguntei hesitante e meu despertador apenas bocejou e se espreguiçou.

-Ele vai voltar. – ao ouvir aquilo meus olhos se arregalaram levemente e senti uma pequena esperança em meu peito. – A prova disso é que eu estou aqui. Agora se vista e terá de tomar o café-da-manhã fora, eu receio. Posso me responsabilizar pela tarefa de te acordar, mas não a de cozinhar. A não ser que queira comida crua e com pêlo de gato, claro. – ri balançando a cabeça negativamente, e ao me levantar para ir ao banheiro, passei as mãos em Nyanta, um carinho em agradecimento.

A água despejada pelo chuveiro passeava pelo meu corpo. Fechei os olhos e tentei concentrar-me somente nisso, somente em senti-la e deixar meu coração acalmar. Não poderia ir trabalhar sem conseguir me concentrar não é? Acho que demorei bastante no banho, já que ao sair Nyanta estava adormecido. Sem querer acordá-lo, saí fazendo o mínimo de barulho possível, mesmo sem ter vontade de trabalhar.

「小山 p.o.v.」

-Shige~! Já falei que não é nada disso! Nós não estamos namorando, ok? Apesar de ser verdade que nos beijamos sim, mas pelo que me lembre bem, foi só uma vez! – disse exasperado, mas ele apenas me olha com desdém, me fazendo bufar irritado. – É a verdade, ta?

-Ok Koyama. Vocês podem não estar namorando, mas que tem alguma coisa aí que você não quer contar tem. Nyanta não aceitaria ajudar juntar vocês dois apenas por brincadeira. Ele não iria mexer com os sentimentos das pessoas desse jeito e você sabe disso muito bem.

Olhei-o incerto de continuar ou não. Essa pessoa à minha frente é uma das poucas que me conhecem bem. Se pensar duas vezes, Shige me conhece melhor que eu mesmo! Algumas vezes isso é útil para me ajudar em uns problemas, mas em outras como esta aqui é péssimo! Eu estou tentando fugir de meus problemas e ele não me deixa!

-Não sei por que você quer que eu te conte se você já sabe o que é.

-É bom você dizer. Às vezes pode te ajudar a realmente aceitar.

-Desde quando você é psicólogo? – murmurei resmungando. – pelo que eu saiba você estuda direito!

-Você é meu primeiro paciente enquanto não me formo em advocacia. E você sabe que já li alguns livros de psicologia na biblioteca. – permaneci quieto, sabia que nunca iria ganhar dele numa discussão ou debate. Mordi meu lábio inferior levemente, seus olhos me pressionando a fazer o que ele queria. Vendo que eu permanecia em silêncio, ele arqueou a sobrancelha – Keii... Você está apaixonado?

Senti meu rosto esquentar enquanto meus olhos se arregalaram o máximo que podem e comecei a gaguejar.

-Claro que não! Nossa, de onde você tirou essa idéia? Ah! Olha que horas são! Tenho que ir embora! Já peguei o que precisava, o restante posso vir buscar depois.

-Interessante a sua reação Keii-chan. – dou um pulo de susto e ao ver Wagahai, solto a respiração. – Espero não estar interrompendo, mas Nyanta veio deixar um recado ontem à noite.

Nyanta? Por que ele se encontraria com Wagahai ao invés de mim? Lembrando depois que aquele gato era imprevisível, deixei minha curiosidade de lado e comecei a me preocupar. Se Nyanta veio deixar um recado, será que Yamapi está bem?

-Se estiver pensando em Yamashita, sua intuição está certa Keii-chan. – ele sorriu divertido – Nyanta disse que ele está bastante preocupado com o seu sumiço repentino.

-Ah! – gritei. – Eu esqueci de deixar um recado avisando! E... Você disse ontem à noite? Que dia é hoje? Que horas são? Ai meu Deus, só falta eu ter matado Yamapi de preocupação, literalmente!

-Isso que dá não verem o relógio. Sabem muito bem que aqui dentro o tempo é mais lento. – aquela coisa que supostamente é um gato (já não o considero como um, porque gatos são legais e este aqui está sendo sádico!) riu da minha desgraça!

Grunhindo em reclamação, peguei duas mochilas que tinha separado e corri, com pressa de chegar em casa ao mesmo tempo em que tentava desesperado pensar em uma maneira de me desculpar com meu “dono”. Credo... Como eu sou um gato desnaturado!

-E não está nem um pouco apaixonado, claro...- ouvi a voz sarcástica de Shige e a risada de Wagahai antes de fechar a porta e correr.

Ao chegar na porta do apartamento, estava pingando de suor, sem fôlego e muito ansioso. Pela hora Yamapi provavelmente está trabalhando, mas isso não torna as coisas nem um pouco mais fáceis. Não quando eu sei que Nyanta está aí e irá me dar um sermão. Ah, se Yamapi estivesse aqui pelo menos iria receber a bronca de uma vez só em vez de duas...

Tive tempo de arrumar minhas coisas no meu quarto (depois de ouvir Nyanta me repreender, claro), tomar banho, ir ao mercado, preparar a janta e arrumar o apartamento. Notei que a minha cama estava desarrumada, enquanto que a dele estava feita, indicando que ninguém havia dormido ali. Meu rosto corou novamente somente de pensar na hipótese dele passando a noite ali, na minha cama, mas chacoalhei a cabeça e ouvi o clique da porta se abrindo.

Yamapi parou ali, com a mão descansando sobre a maçaneta, me encarando como se não acreditasse no que estava vendo. Senti a culpa me consumir mais uma vez e me amaldiçoei por não tê-lo avisado.

-Yamapi...? Né, gomen por ont...-ele apenas me abraça forte, e quase me sufoca, mas eu entendo que depois da preocupação que ele deve ter passado essa reação é normal, certo?

-Keii... – murmuro um ‘sim?’ meio hesitante, baixinho. – Nunca mais... – sua voz meio rouca sussura em meu ouvido, me distraindo um pouco. – Nunca mais suma desse jeito ouviu?

Sentindo meu corpo esquentar e minha visão turvar, fecho os olhos gemendo baixo, e ao abri-los novamente, a única coisa que vejo é Yamapi assustado e bem maior que eu.

-O quê...? – nós dois olhamos a janela confirmando que o sol brilhava ainda e forte. – Keii... Por quê você se transformou em gato de dia?

Ah, droga. As coisas vão ficar mais complicadas... Principalmente porque eu NÃO sei como eu me transformei!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Nara
Johnny's senior
Johnny's senior
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2833
Idade : 33
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : bióloga
Unit Favorita : NewS, Arashi, Kanjani8, V6
Data de inscrição : 26/05/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qui Maio 06, 2010 5:35 am

aeaeaeaea cap novo finalmente
trabalhar o dia inteiro é tenso
e eu q nao consigo achar nada :/
vamos ao q interessa...
aaaa Shige *-----*
Shige psicologo hehe
adorei a parte do Keii mudando completamente de assunto ao ser questionado se está apaixonado xD
Wagahai e shiige juntos zuando o Keii hehe xD
nhaaa Pi fofo *----*
é mas pr ele ta de gato de dia????
mais mais mais!!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://micellanews.blogspot.com/
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Seg Maio 24, 2010 8:56 pm

yeap dear. XD
intenso mesmo...
haha... ainda mais quando o speedy em casa não funciona....
*pessoa com pressa*
só respondendo rapidinho... XD porquetônotrabalho.
hauhauahah...

thank you pelo comentário e....

porque ele virou gato? XDDDDDD
huahauahuahuaha.
simples. Keii se descontrola por causa desses sentimentos não assumidos. Aí como ele fica muito ansioso com isso, puuuuf. virou gato. XD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Kyuu
Johnny's trainer
Johnny's trainer
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 119
Idade : 29
Localização : Na casa do Keii! *shoot*
Unit Favorita : News
Data de inscrição : 10/03/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qua Jun 16, 2010 9:49 pm

N/A: Finalmente outro capítulo! yey!
Mas parece que este aqui não tem taaanta coisa como os outros.... hum.... Quem sabe o outro fique maior? ahahahah

Chapter 07

[Nyanta pov]

-Então...? – encarei questionando Yamashita e Keiichiro que me encaravam assustadoramente sérios. – Querem que eu dê a resposta sobre a transformação de Keiichiro? – os dois fazem um sinal afirmativo com a cabeça – Terei que desapontá-los. Mas pode ser que encontre algo na biblioteca... – achando extremamente estranho Keiichiro continuar a me encarar sério, sem dizer uma palavra, arqueei uma sobrancelha – Já tentou falar? Esta não é uma transformação comum, então pode ser que algumas habilidades que te foram privadas na transformação noturna não sejam nessas e vice-versa sabe?

-Verdade...? Ah! Eu posso falar! – surpresos, os dois se olham alegres pela nova descoberta. – Por quanto tempo acha que vou ficar desse jeito? Não estou doente para que meu corpo se transforme sozinho...

-Hum... – pensei um pouco a respeito, notando o olhar disfarçado de desconfiança de Yamashita sobre mim. Ora essa, esse rapaz também possui uma boa intuição. Suprimindo um sorriso, respondi. – Quem sabe se você se acalmar...? Talvez seu organismo esteja reagindo a algo... Desespero não irá nos ajudar... – enquanto Keiichiro fechava os olhos para se acalmar, fiquei encarando Yamashita que ao constatar que ao se acalmar Keiichiro começou a retornar à sua forma original, me encarou de volta. Ele abriu a boca para dizer algo, porém ao perceber o aviso em meu olhar, deteve-se. Eu irei ouvi-lo sim, entretanto não este momento...

-Ah! Voltei! Nyanta funcionou!

-Fico feliz com isso, mesmo assim insisto que procure saber a razão disso. Talvez Shigeaki possa te ajudar. A curiosidade e dedicação dele são grandes, creio que você conseguiria achar a sua resposta mais rápido assim.

-É verdade! Shige também vai ficar curioso com isso! – sua animação ao mencioná-lo era tanta que Yamashita nada sabendo a respeito de Shigeaki, fechou a cara e me pareceu levemente emburrado...? Interessante. Nada mais satisfador que esta informação. E de quebra ainda o distrai um pouco de mim.

-Keiichiro, creio que ainda não apresentou Shigeaki à Yamashita.

-Ah, é verdade! É que agora ele está um pouco ocupado com a faculdade, mas quando vocês dois tiverem uma folga, eu apresento vocês! Se você quiser, é claro. – com um sorriso um pouco forçado em resposta que Keiichiro considerou como um ‘sim’, continuou animado – Acho que vocês dois se darão bem. Assim como você, Shige também é esforçado, sabe? Em época de provas eu sempre tenho que ligar para ele e forçá-lo a dormir, senão ele passa a noite em claro estudando desesperado os assuntos que ele já sabe de cor. – o orgulho com que menciona Shige chega ser até palpável...

-Muita informação em pouco tempo Keiichiro. Como está tarde, acho melhor os dois irem dormir. Amanhã vocês continuam a conversa.

-Né Yamapi. – um murmúrio de Yamashita o encoraja a continuar – Amanhã... Será que posso ir com você lá na agência? – recebendo um olhar surpreso, ele explica – É que... Como agora posso sair, eu queria conhecer seu trabalho. Tegoshi e Massu estão sempre comentando sobre aquele lugar e você sabe como não é bom deixar um gato curioso... – pela primeira vez desde a volta de Keiichiro eu vejo Yamashita sorrir alegre, verdadeiramente.

-Claro que sim. Esteja pronto amanhã, ok?

Observando as duas pessoas trocando sorrisos, me retirei para descansar. É... Falta pouco para saberem a verdadeira razão da lenda...

[Koyama pov]

Acordei meio tonto. Sentei na cama e levei uma mão à testa. Meus olhos pesados estavam quase fechando de novo. Grunhi. Nunca achei que apenas uma noite fora de casa faria tanta diferença assim... Respirei fundo e pude sentir aquele perfume familiar até no cobertor! Droga de perfume viciante... Acho que deveria proibir Yamapi de dormir aqui, ou eu é que não durmo mais! Ainda incomodado por ter meu sono perturbado pelo cheiro dele, me dirigi ao banheiro, jurando que eu devo ter me transformado em gato pelo menos quatro vezes em uma noite sem lua cheia.

-Kei? – pulei de susto ao ouvir sua voz me chamando – está acordado? – somente neste momento percebi que fiquei enrolando demais no banheiro me arrumando.

-Ah, sim! Desculpa! Já saio e vou preparar o bentou.

-Errado. Quando sair, vem tomar café. Hoje tava pensando em almoçar fora, para comemorar que você está livre agora... – abri a porta, encarando Yamapi surpreso e recebendo um sorriso de satisfação em resposta. – Vou entender isso como um ‘sim’. Ah, não pense que estou fazendo isso porque não quero comer o que você prepara, porque é exatamente o contrário! Só queria te dar uma folga hoje...

[~*~]

-Kei-chan! – duas vozes gritaram, atraindo atenção de todos, me fazendo ficar com um pouco de vergonha – Você voltou!


-É... Só tinha isso para minha antiga casa pegar algumas coisas...

-Você demorou. – ri do bico que Tegoshi faz reclamando – eu esperei até a hora do almoço!

-Desculpa... – sorri sem graça – Perdi a hora conversando com um amigo... – mal terminei de falar e TegoMass se entreolham antes de perguntarem algo me deixando constrangido.

-Um amigo? Por acaso ele é seu namorado?

-Hein? Namorado? Haha... C-claro que não! Que idéia Tego... Por que será que ultimamente todos querem me arranjar alguém? Será que estou ficando encalhado? – ri nervosamente, balançando a cabeça. – Yamapi? Está tudo bem ficarmos aqui? Você não tinha uma reunião agora? – quando Yamapi ia dizer algo, Tego me puxa e Massu me empurra para o lado oposto de Yamapi, que não tem tempo nem de abrir a boca.

-Pode deixar que a gente ta livre! Depois a gente te devolve o Kei-chan, Pi! – com isso fui forçado a me separar dele, dando uma rápida olhada antes de começar a acompanhar meus dois “filhos”. Engraçado... Impressão minha ou Yamapi me pareceu ficar de mau humor de novo...?

[YamaP pov]

-Ok... Alguma coisa aconteceu. De novo... – ouço um suspiro e alguém sentando ao meu lado no sofá. – Problemas com o “gato” de novo? – apenas acenei com a cabeça, sabendo que minha companhia franziu o cenho sem nem ao menos olhar – O que aconteceu dessa vez?

-Não sei. – passei a mão no cabelo – Ele some por um dia inteiro, passa a noite fora sem avisar e agora quando volta diz que estava na casa de um amigo... – fechei minha mão com força ao lembrar essa última parte.

-...E você está morrendo de ciúmes principalmente porque não conhece esse suposto amigo dele.

-Eu não estou com ciúmes! – bufei – Achei que você me conhecia melhor. Como é que eu poderia estar com ciúmes se nem ao menos estou apaixonado? Que idéia... Só estou... Irritado porque ele não me avisou e nem deixou recado, me preocupando a toa. Só isso... É, só isso.

Toma me olhou com descrença, que respondi com um olhar mortal. Rolando os olhos, ele levantou as mãos em sinal de paz, mas seus olhos ainda diziam que não acreditava no que eu disse.

-Ok. Mudando de assunto. O que foi a comoção de hoje de manhã? Nunca vi seus filhos tão animados...

-Ah... Kei veio hoje fazer um tour pela agência.

-Sério? Ele está aqui? Acho que vou fazer uma visita aos seus amados filhos! – com um tom alegre demais para o meu gosto, Toma estava quase pulando do sofá e indo atrás dos dois, ou melhor, três.

-O que você pretende com Kei? – olhei desconfiado e pude sentir um breve sentimento de raiva me preencher, para minha própria surpresa. Mas pensando bem, só estou cuidando de Kei, não é? Não tem nada demais ser superprotetor, tem?

-Calma aí Pi... Calminha aí cara. Eu não quero nada não, só quero conhecer esse famoso gato que você tanto menciona. – senti um alívio, e quando voltava a relaxar, Toma sorri maroto e continua, apenas para me provocar, me deixando com raiva de novo – Mas quem sabe? Se ele for meu tipo... – dando risada por sua provocação dar certo, ele se retira correndo, não me deixando acertar um soco nele.

-Idiota... – murmuro, tentando me controlar para não ir atrás dele já que a sessão de fotos ia começar em breve.

-Yamashita-san? – o assistente do fotógrafo me chama, e ao perceber meu mau humor, recua alguns passos – Er... Ibata-san me mandou perguntar se você já estava pronto, mas... Eu posso pedir para ele esperar mais alguns minut...

-Oh! Mas que beleza! Exatamente o que eu queria! – ah, é só mencioná-lo que ele aparece? Encarei Ibata, o fotógrafo, que cortando a fala de seu assistente agora me admirava com os olhos brilhando, me admirando por todos os lados, deixando meu sangue ferver mais ainda, obrigando seu assistente a praticamente fugir da sala correndo. – Não sei o que te deixou nesse estado, mas é ótimo para a sessão de hoje! Vamos! Se apronte! Pro tema de hoje eu quer ver seu lado mais selvagem, e nada melhor que esse olhar de fera predadora faminta à espreita de sua caça! – suspirei enquanto me dirigia ao cenário com o fotógrafo sem um pingo de massa cinzenta. Bom, pelo menos meu mau humor estava servindo para algo, não é?

Parei meus movimentos uns instantes ao ver minhas roupas (ou a falta delas): calça jeans e a roupa de baixo. Ao lembrar que estava prestes a fazer propaganda de uma marca de calça jeans, dei de ombros. Não é como se fosse a primeira vez, mas por algum motivo acho que todas as propagandas são feitas do mesmo jeito. Poderiam até reusar minha antiga foto que ia dar no mesmo, com a única diferença do corte de cabelo, só.

Caminhei descalço, usando apenas a calça, com calma enquanto os últimos ajustes no cenário e câmera eram feitos. Ainda bem que não estava frio senão a gripe que eu pegaria depois não ia ser fácil. Sentei em uma das poltronas por perto e aguardei até ser chamado para ficar em frente à câmera, o que não demorou muito. Recebi algumas pequenas instruções ao mesmo tempo em que a maquiadora dava seus últimos retoques. De calça jeans escura, com o zíper aberto, deixando uma mão no lado esquerdo a puxando para baixo fazendo com que a cueca azul ficasse um pouco mais a mostra, e com um olhar sério, com um pouco de descaso, o photoshoot começou.

-Vamos, entre! Não tenha vergonha! – esperei a foto ser tirada para depois me virar para a porta, ajeitando uma das várias almofadas espalhadas no chão à mina volta, sendo surpreendido pelas visitas inusitadas. – Ele não liga se a gente vier aqui atrapalhar. Afinal, mesmo não parecendo, Yamapi ainda é um profissional, sabe? – virando de volta pra câmera, levantei a mão à cabeça e escondido da lente, mas visível para meu visitante insolente e também melhor amigo, mostrei o dedo médio, sendo respondido por uma alta risada.

Mais umas quatro fotos foram tiradas até que me foi dado um intervalo de quinze minutos para finalmente recepcioná-los. Caminhei calmamente ajeitando o cabelo depois de tanto tempo deitado, sentindo aquela vontade de bater em Toma de novo, pois o mesmo quando me viu aproximar, sorriu e passou um braço em volta de Kei. Arqueei a sobrancelha e começamos nossa conversa pelo olhar: eu desafiando-o a concluir o que pretendia e ele sorrindo mais ainda, mostrando a língua e agarrando Kei na minha f-r-e-n-t-e. Ah, mas ele vai pagar caro por isso, ah se vai. Antes que eu chegasse, ele fugiu alegando ter um compromisso, mas não sem antes dar um beijo na bochecha de Kei, o deixando levemente corado e sem-graça. Ah, Toma... É bom que já tenha preparado seu testamento... Vai precisar dele...

-Ah. Yamapi está... – Massu coloca a mão na boca de Tegoshi antes que ele pudesse concluir a frase.

-Conheceram muita coisa? – sentei ao lado de Kei enquanto TegoMass dividiam o outro sofá.

-Bom... Eu acho que sim... – Kei franze o cenho ao lembrar as coisas, me fazendo sorrir imaginando o que os dois aprontaram com ele. – Muito confuso, mas acho que conheci vários lugares e bastante pessoas... Apesar de que sempre tinha que ir me desculpar com elas por causa de duas pessoas... Até Ikut... Toma-san aparecer. Depois disso tive que me desculpar por três pessoas. –ouvindo a risada dos nossos filhos, sorri enquanto Kei se fingia de bravo, ignorando completamente a parte em que ele diz o nome de Toma.

-Huum. Foi um dia agitado então. – abracei Kei, puxando-o mais para perto para aproveitar e usá-lo de apoio, encostando minha cabeça em seu ombro – Depois disso tudo, acho que já estão com fome, não? Dêem-me quinze minutos. Quinze minutos deve ser o suficiente para acabar essa sessão. Aí eu levo vocês para almoçar.

-Eeeeeeeeeeh? – a supresa de Tego e os olhos arregalados de Massu são tão cômicas! Tive que me segurar para não rir. – Kei-chan não vai cozinhar?

-Dêem um desconto para ele. Hoje vamos comer fora. – antes que eu pudesse dizer mais alguma coisa, fui chamado novamente para terminar a sessão de fotos.

Recebi uma camisa branca, com a instrução de apenas colocá-la sem abotoá-la. Fazendo o que me foi dito, aproximei do fotógrafo que por um acaso estava com um balde de água e despejou tudo em mim de uma maneira não muito delicada, por assim dizer. Encarei-o com meu pior olhar mortal, que não fez efeito algum a não ser deixá-lo mais eufórico ainda, me empurrando para o outro cenário.

Em frente ao cenário de uma praia, aproveitei para passar a mão no cabelo, tirando o excesso de água gelada e percebendo que naquele canto reservado do estúdio, Kei começava a ficar incomodado com algo. Fazendo uma nota mental de conversar com ele depois e fazê-lo de algum modo entender que me observar enquanto trabalho não irá me prejudicar, movo meu corpo como me é mandado e o olhar de luxúria que é necessário agora presente.

Algumas fotos e poucas poses depois ouço um barulho e um ‘eeeeh??’ vindo dos dois bagunceiros e quando reparo melhor, noto que Tegoshi ajeitava as roupas de Kei em seu braço na tentativa de esconder depressa e Massu segurava um adorável gato em seu colo que estranhamente me parecia corado. O que é impossível, não é? Gatos não conseguem corar, conseguem? Mesmo que seja o Kei...

Ao notar que as outras pessoas iam se virar para entender a causa dos barulhos, os distraio rapidamente chamando-os, e com um charme (que evito usar porque é algo embaraçoso demais) prendo a atenção de todos em mim novamente, me comunicando com os dois pelos olhares: eles dizendo que iam ficar com Kei do lado de fora da sala e eu falando que entendi e que era para se apressarem.

[Koyama p.o.v.]

Aaaaah.... Cada situação que me meto! Maldita transformação! Bom... Se bem que talvez tenha sido melhor eu ter me transformado... Levanto a cabeça e vejo Massu me encarar sem saber o que fazer. Suspiro. Ainda bem que os dois já tinham me visto transformar antes em uma das vezes que quiseram fazer uma festa de pijama lá em casa ou eu não saberia o que fazer para me explicar.

-Kei-chan, tudo bem? Estou te apertando demais?

-Não, está tudo bem sim. Aliás, se quiser pode me deixar no chão... – sorrio, mas duvido que isso possa ser visto na minha forma de gato. Tegoshi me olha franzindo o cenho.

-Se quiser, eu carrego.

-Está tudo bem em me deixar no chão Teg...

-É perigoso! E se alguém pisar sem querer em você? Yamapi ia ficar furioso e poderia ser suspenso. – ri do exagero dos dois, que fizeram questão de me carregar apenas para brincarem comigo, usando a suposta fúria de Yamapi como pretexto.

-Mas né Kei... – Massu me pergunta curioso – Nyanta disse que sua transformação é por causa do seu nervosismo ou algo assim, não é? – confirmei com a cabeça, lembrando de ter contado sobre essa nova transformação minha de manhã, quando me separaram de Yamapi. – Então você sabe o motivo de ter se transformado agora?

Fiquei em silêncio por um tempo e sabendo que os dois não deixariam isso passar de lado tão fácil, apenas acenei que não e dei um miado. Os dois achando engraçado, se distraíram e voltaram a brincar me fazendo sentir um pouco aliviado. Menti quando disse que não sabia a razão. Mas eu não poderia dizer a eles que o motivo era porque eu achei que Yamapi estava extremamente sexy e convidativo, poderia...? Sentindo meu rosto corar de novo, balancei a cabeça, voltando a divertir os dois.


N/a: o que acharam? Kei-chan finalmente aceitando que gosta de Yamapi? E o Pi? Acham que ele está apaixonado? ou talvez não? E o que acharam desse Tegomass que não aprontou nada ainda...? Só agora que terminei o capítulo é que lembrei que não fiz eles aprontarem com nada ainda... huahauhauha. desculpa gente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://mikiyu-chan.livejournal.com/
Nara
Johnny's senior
Johnny's senior
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2833
Idade : 33
Localização : São Paulo/SP
Emprego/lazer : bióloga
Unit Favorita : NewS, Arashi, Kanjani8, V6
Data de inscrição : 26/05/2009

MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   Qui Jun 17, 2010 7:47 pm

é finalmente capitulo novo o//
ah mas é claro q o Pi gosta do Kei sim e tava com ciumes do Toma haha
alias ebaa Toma apareceu de novo \o/
falta mto para aparecer o Ryo? aaaa eu qro ver logo o Ryo na historia
Tegomasu esses 2 sao adoraveis *---*
como nao ficar corado(a) com o Pi nao é mesmo? hehe xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://micellanews.blogspot.com/
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: 「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
「inc - 07/? 」 7 Lifes, Mangetsu no neko no curse.
Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» Curse
» Be Shinigami - A Curse?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Johnnys Brasil :: Off Topic :: Free your mind-
Ir para: